Sebrae Bahia conduz missão com produtores ao VII Prêmio Queijo Brasil | ASN Bahia


O Sebrae Bahia levará um grupo de produtores para participar do VII Prêmio Queijo Brasil, que acontece, de 11 a 14 de julho, em Blumenau (SC). A expectativa é de que pelo menos a metade do grupo retorne do concurso com medalhas – em 2023, a missão trouxe 40. Os integrantes da equipe baiana vão apresentar 175 tipos de queijo e são de municípios do Oeste, Extremo-Sul e das regiões de Jacobina e Feira de Santana.

Além da avaliação dos queijos por um time técnico, a programação atende também aos consumidores, que poderão visitar a Feira Gastronômica, no Parque Vila Germânica. A competição cresceu cerca de 50% em relação a 2023 e bateu recorde de inscrições, com 1.542 queijos artesanais brasileiros inscritos, de 20 estados brasileiros. Ano passado, 1.045 amostras disputaram o concurso.

São mais de 70 expositores e, além de queijarias, haverá degustação de vinhos e outros produtos artesanais. No dia 11, o evento vai das 14h às 22h; na sexta-feira (12), o atendimento ao público será das 11h às 22h; no sábado (13), a programação tem início às 10h e termina às 22h; e, no domingo (14), será das 10h às 20h. O primeiro e o último dia serão de acesso gratuito e os demais dias terão acesso com ingressos a R$ 10. Em ambos os casos, o visitante precisa se cadastrar no link (clique aqui).

A programação inclui rodadas de negócios, mesas redondas, workshops, oficinas, curso de produção, desafio queijista, formação queijista e feira de produtores. As informações completas sobre a programação estão em www.pewmioqueijobrasil.com.br.

O coordenador de Agronegócios do Sebrae Bahia, Wagner Carvalho, afirma que a maior expectativa é com relação às medalhas de ouro e os queijos que vão para a seleção Queijistas (10 melhores queijos). “As medalhas servem para mostrar o potencial de queijos artesanais na Bahia, que há pouco tempo não estava incluída no mapa de queijos artesanais do Brasil”, frisa. Wagner destaca, ainda que, além da extensa programação, a feira é uma excelente oportunidade de movimentar o networking entre os participantes.

O presidente da Associação de Queijistas do Brasil Comer Queijo, Frederico A. Teixeira, acredita no potencial dos produtores da Bahia para conquistar muitas medalhas. “Nossa esperança é que dobre a quantidade de medalhas em comparação a 2023, ano em que o queijo baiano se mostrou no cenário de queijos artesanais do Brasil. Tudo é muito recente e espero que as medalhas possam abrir as fronteiras intermunicipais e estaduais para comercialização, barreira sanitária ainda não superada pelas leis do estado. Pela quantidade de municípios inscritos no prêmio, podemos tirar uma base na grande quantidade de produtores e produtos de alto nível que vem surgindo com queijos tradicionais e autorais”, disse.



Fonte: Sebrae

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *