Donas de negócios: 32% dos empreendimentos são conduzidos por mulheres, no Paraná | ASN Paraná


Um em cada três empreendimentos, aproximadamente, são comandados por mulheres. Os dados estão na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que tem como recorte o quarto trimestre de 2023. Ainda no levantamento, o Paraná conta com 1,648 milhões de empreendedores ou donos de negócios, formais ou informais.

Na divisão por setor, as mulheres estão mais presentes no setor de Serviços (44,2%), seguido por Comércio (18,7%) e Indústria (17,1%). Em relação ao rendimento médio mensal, 60,5% delas recebem até dois salários mínimos. A pesquisa também apresenta que o rendimento feminino é de R$ 2.981,00, menor do que a média masculina de R$ 4.051,00. Outro ponto da pesquisa é a formalização, 47,5% possuem CNPJ, além de que metade das donas de negócio (50,07%) são chefes de seus domicílios.

“Vemos que as empreendedoras enfrentam vários desafios, possuem muitas jornadas diferentes em suas rotinas, seja à frente de um negócio, como mães ou chefes de seus lares, por exemplo”, observa a consultora do Sebrae/PR, Janaina Dib.

Uma forma de auxiliar nesse processo, em suas “dores”, e a estimular o crescimento das empreendedoras é o Sebrae Delas, programa da instituição que oferece capacitações, mentorias, networking e informações sobre como acessar crédito no Paraná.

“Ainda promovemos o desenvolvimento de outras frentes, como de competências, comportamentos e habilidades, além da aproximação e do incentivo à criação de uma rede de apoio”, afirma.

Uma das empreendedoras que participa da iniciativa é Rose da Costa, química industrial à frente da Alvejax. A indústria trabalha com produção e revenda de itens de higiene e limpeza desde 2005 na cidade de Colombo, Região Metropolitana de Curitiba. Nesse período, Rose buscou o Sebrae/PR para auxiliar no plano de negócios de sua empresa.

Ela conta que o grupo do Sebrae Delas da região auxiliou a aproximá-la das empreendedoras do município e da região e a abrir novas portas.

“Essa aproximação vejo que agregou muito, que é um momento de educação empresarial, divulgação e de fomento. Hoje, temos uma linha com 29 itens produzidos internamente e também revendemos de outras empresas. Parte desses itens nós comprados de empresas que são da região, sendo que muitas delas conhecemos pelo grupo”, aponta.

Rose da Costa procurou o Sebrae/PR na abertura, para auxiliar no desenvolvimento do plano de negócios. Fotos: divulgação.

Empreendedorismo na terceira idade

Foi em novembro de 2023 que Maria Aparecida de Paulo, de 66 anos, formalizou o seu pequeno negócio na área da alimentação na Sala da Mulher Empreendedora de Londrina. Microempreendedora individual (MEI), ela produz e vende tortas salgadas, de sabores variados, sob encomenda e em feiras da cidade. Também tem no cardápio pão de torresmo e rosca de calabresa defumada.

Segundo dona Cida, como é conhecida, o pequeno negócio ajuda a complementar a renda dela e do marido, ambos aposentados com um salário-mínimo. Mas, a empreendedora sonha em ir mais longe, por isso, está sempre em busca de conhecimento.

Ela conta que tem a Sala da Mulher Empreendedora de Londrina como referência. Quando tem dúvidas sobre o negócio, é lá que procura atendimento. É perseverante e, apesar da idade, busca sempre aprender mais. Prova disso é que ela acaba de concluir um curso de gastronomia e de ser convidada para dar uma oficina de tortas na Secretaria da Mulher do município.

“Para mim, é uma conquista, um sonho que eu tinha de ter o meu próprio negócio. Sempre trabalhei para os outros, de empregada, e não tive oportunidade de estudar quando mais nova. Como dizem por aí, não tem idade, tem que ter força de vontade e isso eu tenho bastante”, comemora.

Conhecida como Dona Cida, a empreendedora é perseverante e quer continuar aprendendo e sonha em fazer o negócio crescer. Foto: Emerson Dias/ Ncom. Prefeitura de Londrina.

Celeridade no atendimento

De Maringá, no noroeste do Paraná, a empreendedora Sandra Baquette decidiu inovar e abriu uma empresa em um ramo distinto no setor de serviços. Depois de se tornar empresária e deixar um emprego de anos, ao aderir a uma franquia de bolos caseiros, investiu na criação de um salão de beleza express, cujo conceito é atender com agilidade clientes que buscam repaginar o visual antes de um compromisso breve, mas que também atende quem simplesmente busca bem-estar.

Para dar vida ao negócio inspirado em modelos vistos nos Estados Unidos, Sandra uniu forças com a profissional da beleza Telma Gonzalez. Juntas, e após uma jornada de quase um ano junto ao Sebrae/PR, instituição onde procuraram suporte técnico para abrir o negócio, as sócias inauguraram a unidade neste primeiro semestre de 2024 e dizem estar felizes com o movimento dos primeiros meses.

As empreendedoras Sandra e Telma. Foto: divulgação.

“Construí uma jornada de acompanhamento para estruturação e validação do modelo de negócios. Foram meses de acompanhamento, incremento de projetos, produtos, encaminhamentos. Com tudo pronto, procuramos um endereço que facilita o acesso, reformamos a loja toda”, relata Sandra.

E Sandra conta que o próximo passo é franquear o salão, sendo que o modelo foi todo desenvolvido para justamente tornar-se franquia. O “Canto de Aruna Escovaria” fica localizado em shopping de Maringá e atende até em horário diferenciado para ampliar o acesso. Na loja, os clientes praticamente não precisam aguardar sua vez na fila, dada a rapidez no atendimento. Tem lavagem, hidratação, escovas rápidas (lisas ou modeladas), corte, design de sobrancelhas e maquiagens básicas.



Fonte: Sebrae

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *